Godard – O Temível

Um filme de Michel Hazanavicius

ESTREIA A 24 DE MAIO

Uma comédia de Michel Hazanavicius

Godard – O Temível

Um filme de Michel Hazanavicius

Uma comédia de Michel Hazanavicius

Godard – O Temível

Um filme de Michel Hazanavicius

ESTREIA A 24 DE MAIO

Uma comédia de Michel Hazanavicius

O filme

sinopse

Após terminar seu longo e famoso relacionamento com a sua musa Anna Karina e numa fase revolucionária da sua carreira, em 1966 o célebre Diretor e Escritor Jean-Luc Godard (Louis Garrel) inicia a produção da sua nova longa-metragem “A Chinesa” que narra a história de um grupo de jovens que tentam incorporar princípios maoistas ao seu cotidiano político. Durante as filmagens, ele conhece Anne Wiazemsky (Stacy Martin) e de imediato os dois apaixonam-se.

Casam-se no mesmo ano, mas em Maio de 1968 Jean- Luc Godard coloca seu casamento à prova. Até o mais complexo e meticuloso dos homens pode sofrer por amor. Não foi diferente para Jean- Luc Godard. A paixão pela sua segunda esposa 17 anos mais nova transformou-o para sempre.

Ficha tecnica


Título: Godard – O Temível

De: Michel Hazanavicius

Género: Biografia; Comédia; Drama

Outros dados: Franca, 2017, Cores, 1h 47min.

ELENCO

Louis Garrel, Stacy Martin, Bérénice Bejo, Micha Lescot

REVIEWS

Rotten Tomatoes

Jean-Luc Godard's films have often overflown with daring conceits - some of them helped change the cinema - but the legendary French filmmaker never imagined this one: a turning point in his life and work would become a droll romantic (...)

The guardian

It is a movie crowded with incident and debate - although oddly the famous disruption of the 1968 Cannes film festival is not shown on screen, but only listened to on the radio. (...)

Academia de cinema

O Formidável

O Formidável é um filme perspicaz e sensível que, além de tudo, traz uma bagagem histórica interessante de um período considerado entre os de maior importância do século passado.

IMDB

art and revolution

The French invented cinema and the Americans turned it into a big industry. If Hollywood loves making films about Hollywood, why should not make the French also films about the French cinema? Especially if we are talking about a director (...)