Imagens Proibidas

Um filme de Hugo Diogo

A partir do dia 01 de Junho

Dos livros ao cinema.
Uma revisita ao universo de Pedro Paixão

Imagens Proibidas

Um filme de Hugo Diogo

Dos livros ao cinema.
Uma revisita ao universo de Pedro Paixão

Imagens Proibidas

Um filme de Hugo Diogo

A partir do dia 01 de Junho

Dos livros ao cinema.
Uma revisita ao universo de Pedro Paixão

O filme

sinopse

“A minha vida gostaria de ser quanto muito o estilhaço de um espelho que se partiu sem querer” – São estas as palavras iniciais de David, acerca da sua vida e dos tempos difíceis que vive em Londres. M, o seu grande amor, deixou-o para viver em Nova Iorque, o que o deixa num estado de vazio existencial que ele procura, a todo custo, preencher. Em casa, ainda em Londres, onde as sombras e memórias de um amor perdido e paredes cheias de polaroids dão sentido à sua dor sempre presente, toma a decisão de voltar a Lisboa numa tentativa de matar o seu amor e de redescobrir o seu caminho.

Em Lisboa, tudo está diferente. A morte eminente do pai, a distância da mãe e os velhos amigos, que a pouco-a-pouco vão desaparecendo, apenas acrescentam ao desespero de David.

Com uma ideia vaga sobre um projeto que deseja desenvolver, David conhece duas raparigas, Sam e Júlia. Ele pretende recriar o amor entre duas mulheres que não se conhecem, fotografando uma e outra e apenas permitindo que ambas se comuniquem através dele, e das fotografias. Com a sua máquina polaroid pretende captar não só a beleza destas duas mulheres, pelas quais se vai deixando envolver, mas também o momento único em que elas se encontram: a prova visível desse amor. Este é o jogo que se revelará difícil de jogar.

Ficha tecnica


Título: Imagens Proibidas

De: Hugo Diogo

Género: Romance

Outros dados: CAN, 2016, Cores, 101 min

ELENCO

Elmano Sancho, Diana Costa e Silva, Ana Vilela da Costa, Dinarte de Freitas, Suzana Borges, Susana Sá, Rita Redshoes

Pedro Paixão

Escritor, professor universitário e fotógrafo português, Pedro Paixão nasceu em 1956, em Lisboa. Filho de um engenheiro agrónomo e de uma farmacêutica, mantém ao longo da sua vida adulta uma atividade multifacetada.

Amante das matemáticas, chegou a matricular-se no Instituto Superior de Economia, onde, em 1974, concluiu o 2.º ano.

Não se sentindo satisfeito com esta escolha académica, embora tivesse sido sempre muito bom aluno, optou pela área das ciências filosóficas. Professor universitário na Universidade Nova de Lisboa, licenciou-se em Filosofia pela Universidade de Lovaina, na Bélgica, onde fez, com distinção, a tese de doutoramento sobre "o conceito de alma".

Homem sempre insatisfeito e, como ele próprio se caracteriza, "contraditório", abraça várias atividades ao mesmo tempo: professor, sócio de uma agência de publicidade e fotógrafo. A sua ligação à agência de publicidade "A Massa Cinzenta", que fundou com Miguel Esteves Cardoso e da qual é sócio juntamente com Duarte Rocha e José Fialho, explica-a o autor como resultado da influência da tradição comercial familiar. Em 1992, publica o seu primeiro livro A Noiva Judia que escreve para satisfazer a sua mãe que admirava muito o mundo da escrita.

Editado este primeiro título, muitos outros, quase com uma periodicidade anual, saíram, obtendo, no mercado editorial, uma recepção indiscutível no que concerne ao número de vendas. De entre os títulos publicados, Pedro

Paixão elegeu Nos Teus Braços Morreríamos, livro que, de acordo com declarações do autor, não faz "concessões", na medida em que, continua, "estive muito mais consciente da linguagem". Composto por 40 histórias, contadas como flash, coloca o leitor perante uma narração em catadupa, como o reflexo de um autor que escreve ao ritmo de uma respiração intensa e desordenada.

Caracterizado por uma escrita mordaz, de frases curtas e incisivas, Pedro Paixão obtém grande acolhimento junto da juventude.

DECLARAÇÕES DO REALIZADOR

Há alguns anos atrás li o livro “SAUDADES DE NOVA IORQUE” do Pedro Paixão e, como realizador e contador de histórias, o protagonista cativou o meu interesse. Percebi que queria contar a sua história, a história dessa pessoa fragmentada, só, que parece destituída da capacidade de se aproximar dos outros. Interessava-me pensar o seu mundo, o seu olhar particular sobre a vida e a morte, o modo exacerbado como vive as emoções e a sua noção de existência.

Mas, IMAGENS PROIBIDAS pretende ser também uma homenagem ao amor que esperámos ter, mas não ousámos dizer, que apenas consegue ser materializado nos livros e no cinema, esse amor impossível, inefável, perfeito: esse amor Arte.

Hugo Diogo

Seixal, 1979, formado em Cinema e Televisão pela Middlesex University em Londres, inicia o seu trajeto como realizador em 2001 com a curta-metragem “Lua Azul”. Esta obra, para além do percurso nacional, foi seleção oficial do 10.º Raindance Film Festival no Reino Unido.

Em 2005 regressa à realização com a sua a sua primeira longa-metragem de ficção “Incógnito”, retrato da relação de um casal, e a luta contra a doença mental de um dos conjugues, um drama onde as noções de realidade e ficção se fundem, para dar origem a uma atmosfera de paranoia. A sua segunda longa-metragem “Marginais” de 2010, filmada entre Lisboa e o Seixal, é um retrato do quotidiano conturbado de cinco habitantes dos subúrbios da capital, numa luta pela sobrevivência.

Revisitando o formato de curta-metragem, em 2010 dirige e produz “O Tempo de Duas Músicas”, com a participação de Eduardo Frazão e Joana Santos nos papéis principais. Esta é uma navegação entre os destinos separados de um par cuja relação se rompeu. Alfama e o Príncipe Real são os cenários deste amor urbano, feito de memórias passadas, que são revisitadas enquanto a personagem principal tenta refazer a sua vida.

“Verão Invencível”, a sua mais recente obra, é a história de amor de uma adolescente rural, que recusa aceitar a morte do pai e que está disposta a sacrificar tudo para lhe devolver a vida, num embate frontal com as suas noções de fé e a morte.

Funda em 2011 a Lanterna de Pedra Filmes, uma distribuidora e produtora de cinema independente que, desde cedo se afirma, com uma forte linha editorial no seu catálogo. Atualmente tem diversos projetos em pré-produção, nas mais diversificadas plataformas do audiovisual.

Press Release teaser “making of” poster